Não é segredo para ninguém que enquanto a Marvel curte o seu incrível sucesso no ramo cinematográfico, a DC/Warner segue tropeçando na hora de escolher a forma de lidar com seus personagens em tela grande. Em compensação, se existe um mercado que é liderado com folga pela DC Comics, é o de longas animados. Todos os anos surgem excelentes animações dentro do Universo Animado DC, baseado nos mais variados arcos e personagens da editora. De 2007 pra cá, foram lançados cinco desses filmes com Batman como protagonista, são eles as adaptações livres de Ano Um, O Retorno do Cavaleiro das Trevas (em duas partes), Batman contra o Capuz Vermelho e Batman: O Cavaleiro de Gotham. Seguindo na linha do Homem Morcego, vou listar três hq’s (ou arcos) do Batman que dariam excelentes longas animados com o selo de qualidade DC/Warner.

 

 

Batman – O Filho do Demônio

 

batman-o-filho-do-demonio

 

Vamos começar com uma hq publicada originalmente em 1987, Batman – O Filho do Demônio, escrita por Mike W. Barr, com arte de Jerry Bingham e com uma excelente introdução do ator Mark Hamill. A trama traz como protagonistas, além do Batman, seu antigo inimigo Ras’ Al Ghul e sua filha Talia.

Aqui acompanhamos um evento nada comum na carreira do morcego, que tem que se aliar a um velho inimigo para combater um adversário em comum. Mas essa inesperada parceria reacende uma história antiga que ele tinha com a filha desse arqui-inimigo.

 

Nessa história vemos um lado até então pouco explorado de Bruce Wayne, o vemos como um homem que nunca aprendeu a lidar com seus sentimentos, principalmente quando são ligados a família. Como o traumatizado Bruce reagiria à existência de uma família? De uma esposa? De um filho? Além desse lado emotivo, a trama resgata um Batman detetive, como nos primórdios do personagem, sem dúvida daria um excelente longa animado.

 

 

O Longo Dia das Bruxas

 

batman-o-longo-dia-das-bruxas

 

A história foi originalmente publicada em uma mini-série em 13 volumes, entre os anos de 1996 e 1997, com roteiro de Jeph Loeb (que de vez em quando acerta) e ilustrada por Tim Sale. Essa série tem fortes inspirações nos filmes de máfia, principalmente na trilogia O Poderoso Chefão. E ao mesmo tempo serviu de inspiração para David Goyer escrever o roteiro da trilogia do Cavaleiro das Trevas.

 

A história se passa aproximadamente 6 meses após os eventos de Ano Um, quando inicia-se uma série de assassinatos e atentados contra importantes membros da máfia. Os crimes possuem uma espécie de assinatura, todos são cometidos nos feriados, deixando no local um objeto relacionado à data em questão. Enquanto isso, crescem as desavenças entre as duas maiores famílias mafiosas de Gotham, as famílias Falcone e Maroni. Talvez o maior mérito dessa mini-série, focar mais nas organizações criminosas e em um possível serial-killer, dando muito mais realismo a obra. Sem falar na participação da Mulher Gato, que pode ser vista como mais que um rostinho bonito.

 

Mas o principal destaque fica com o promotor Harvey Dent, e sua busca incessante pela limpeza da cidade de Gotham, tornando-se um grande aliado de Jim Gordon e do Batman. Apesar do desfecho ter deixado algumas questões em aberto, foi um excelente gancho para a sua continuação e próximo item desse post…

 

 

Batman: Vitória Sombria

 

batman-vitoria-sombria

 

Publicada em 1999, em sete volumes e com os mesmos responsáveis da obra anterior, foi uma continuação mais do que digna. Como continuação direta, a trama se passa alguns meses após a suposta prisão do serial-killer das edições passadas, mas novos e misteriosos atentados começam a acontecer, dessa vez contra pessoas, principalmente policiais, que se envolveram de alguma forma com o promotor Dent.

 

As tensões entre os mafiosos da cidade continuam em alta, e um Batman abalado e se sentindo culpado pelo que aconteceu com o Promotor, ainda tem que lidar com a recente adoção de um garoto com história de vida semelhante a sua, Dick Grayson, a quem ele decide treinar e cuidar para que não se perca em seu desejo de vingança.

 

Mais uma vez a história se confunde com uma excelente trama de filmes policiais da melhor qualidade, Vitória Sombria está entre as grandes histórias do Morcego, apesar de não superar O Longo dia das Bruxas, talvez por depender diretamente dela. Mesmo assim ela merece figurar no rol de histórias indispensáveis para os fãs de Batman e de quadrinhos em geral, e sem dúvidas daria um excelente longa animado (e em live-action também).

 

 

E aí, se você não conhecia essas histórias corra para ler, e se você conhece essas e também outras que poderiam render excelentes animações, deixe as sugestões aí nos comentários.

0 Total Views 0 Views Today