Top 10 | Os melhores desenhos animados baseados em HQs

Capa 900x330

Adaptar quadrinhos no mundo das séries parece ser algo novo, e com tantas séries provindas dessa mídia tão consumida desde os anos 40 às vezes nos esquecemos de algumas produções que marcaram uma geração e que com certeza permearam a infância de muitos que leem esse top 10. Então listamos séries animadas (ou apenas desenhos mesmo) baseados em quadrinhos que fizeram história e preencheram as TVs brasileiras da década de 70 até hoje! Afinal, desenho animado também faz parte do mundo das séries.

 

10 – O Máskara (1995)

O Máscara - Imagem 1

Em 1982 surgia um icônico personagem pelas mãos de Mike Richardson.  Foi a primeira publicação do inusitado e violento O Máskara (The Mask); o personagem sofreu com altos e baixos durante toda a década de 90 e o sucesso culminou no famoso filme de 1994, que trazia Jim Carrey como o Stanley Ipkiss, o nosso querido Máskara.

Em 1995, o canal americano CBS fez uma continuação para o filme, porém agora em forma de desenho animado; o desenho era uma catarse da loucura vista nos quadrinhos, inclusive com cenas que recriavam sequências dos quadrinhos. No Brasil, a série passou na Rede Globo até os anos 2000, porém hoje se encontra nos arquivos do SBT.

Alguns dos pontos marcantes eram as participações do Ace Ventura, personagem feito também por Jim Carrey nos cinemas, e também a dublagem extravagante e marcante de Marco Ribeiro (dublador do Jim Carrey) em todas as três temporadas.

 

9 – As Tartarugas Ninja (1987)

TMNT - Imagem 2

Santa tartaruga! – Teenage Mutant Ninja Turtles ou apenas As Tartarugas Ninja aqui no Brasil era uma série criada inicialmente para vender brinquedos. Sim, mas não se sinta triste se você tinha uma coleção quase sagrada com Leonardo, Donatello, Raphael e Michelangelo em sua estante. Baseado nos quadrinhos de Kevin Eastman e Peter Laird o desenho era uma adaptação dos, inicialmente, violentos quadrinhos, mas com uma pegada mais infantil. O desenho foi ao ar pela CBS nos Estados Unidos e pela Globo no Brasil e contava a história das quatro tartarugas mutantes que viviam no esgoto e foram treinadas por Splinter, um rato mutante.

Apesar do enredo simples, As Tartarugas Ninjas abocanharam o final da década de 80 e são lembradas até hoje com muita saudade não só pelos mais velhos, quanto pelos mais novos que acompanharam as inúmeras reprises na TV aberta. O ponto mais alto da série era com certeza sua trilha sonora, que tinha uma dinâmica muito diferente do habitual da época, ela foi escrita por Dennis C. Brown e o hoje renomado produtor Chuck Lorre (Big Bang Theory, Two and half man).

 

8 – Superamigos (1973)

Superamigos - Imagem 3

Se hoje a DC Comics é referência no mundo das séries, com The Flash, Supergirl ou Arrow, nos anos 70 era um grande sucesso na televisão com os super-heróis mais poderosos do universo e a representação infantil e estranha da Liga da Justiça da América com alguns personagens completamente inéditos criados pela produtora e criadora da série Hanna-Barbera.

Superamigos era o retrato de uma época para os quadrinhos e suas adaptações, muitos personagens originais da DC foram utilizados, numa versão pouco comum hoje pós Crise das Infinitas Terras e muitos outros com poderes duvidosos, como o Chefe Apache ou os tão adorados Super-Gêmeos. E por mais que não levemos tão a sério um roteiro que envolve macacos azuis, jatos invisíveis e mexicanos que leem mentes, a série teve importância na apresentação dos quadrinhos para o grande público e até para produtores do mundo todo que futuramente investiram e criaram as diversas séries apresentadas aqui.

 

7 – Projeto Zeta (2001)

Zeta - Imagem 4

Em 2001, um spin off não tão famoso conquistou uma legião de fãs pelo mundo com apenas 26 episódios. Projeto Zeta é baseado no personagem Zeta, dos quadrinhos Batman do Futuro (Batman Beyond). No universo em que Zeta era ambientado, o robô humanoide vivia uma missão contra seus criadores e vivia sua vida com Ro, fugindo da NSA, a agência de segurança americana.

A parte mais divertida de Projeto Zeta era a grande variedade de ferramentas que o robô possuía, além da calma e do carisma que o personagem desenvolveu. O destaque também ia para Ro, uma adolescente órfã que acompanhava Zeta pelos Estados Unidos.

A série foi transmitida na Kids’ WB nos EUA e no Cartoon Network, Boomerang e no SBT e conquistou o coração dos fãs por ser uma série diferente, que misturava o infantil da animação, com uma temática séria, um robô num futuro distópico e mostrava algo inédito nos desenhos animados com uma identidade única.

 

6 – Os Jovem Titãs (2002)

Teen Titans - Imagem 5

Mais uma vez a DC Comics trouxe personagens não tão conhecidos do público que não lia quadrinhos e transformou Robin, Ravena, Estelar, Cyborg e Mutano nos superamigos dos anos 2000. Teen Titans, ou Os Jovens Titãs aqui no Brasil era tudo o que uma criança, como essa que aqui escreve, queria num desenho animado. Ele tinha ação, personagens caricatos, um design e arte impecáveis, um bom enredo e muito humor, o que fez de todas as cinco temporadas algo único.

Demorou bastante para que os titãs dessem as caras aqui no Brasil; a estreia norte-americana foi em 2002, porém, só foi transmitido no Cartoon Network Brasil em 2004. A série foi baseada nas revistas, Os Novos Titãs e conseguimos perceber claramente a influência direta desses quadrinhos. Um ponto interessante nessa obra é o sucesso que ela fez no oriente; a divulgação no Japão foi gigantesca pelo Cartoon Network e os titãs foram muito bem recebidos por lá, principalmente pela abertura cantada pela banda japonesa Puffy AmyYumi e o longa-metragem baseado na série – Teen Titans: Trouble in Tokyo.

 

5 – Liga da Justiça Sem Limites (2004)

Liga da Justica - Imagem 6

O toque de ouro que a DC possui pra animações pode ser resumido em Justice League Unlimited, a obra é responsável pela popularização das grandes animações na DC Comics. Em questão de adaptação, Liga da Justiça Sem Limites dá uma nova perspectiva dos quadrinhos na televisão. Essa série apresentou a toda uma nova geração os super-heróis clássicos e incentivou a venda de quadrinhos quando a mesma não ia muito bem.

A história segue diretamente a série Liga da Justiça de 2001, e seguia o modo hoje consagrado do procedural, com episódios que continham histórias únicas e nos grandes arcos alguns episódios duplos e triplos. Na série o lado divertido dá lugar a um tom mais sério, com todos os membros fundadores da Liga da Justiça, vários vilões clássicos, membros recorrentes e pouco conhecidos do público geral além de uma expansão do universo da DC Comics, que manteve a estética do já citado Projeto Zeta, do contestado desenho Batman do Futuro e do ótimo Super Choque.

 

4 – Super Choque (2004)

Super Choque - Imagem 7

Virgil Hawkings, o Super Choque era o herói que todos os jovens queriam ser, pelo menos aqui no Brasil. Static Shock, nos EUA é uma animação baseada em uma publicação de mesmo nome da DC Comics, que contava a história de um garoto negro suburbano, que acabou ganhando poderes elétricos e magnéticos depois de um acidente. Virgil era descolado e divertido, e com um roteiro simples foi muito importante pela representação racial enquanto fomentava a luta contra o preconceito tecido pelos super-heróis clássicos da era de ouro.

O desenho tinha uma estética única, com personagens únicos que diziam quase que inconscientemente que não importava a cor da pele do personagem, a diversão podia coexistir com a diversidade sem abrir mão de uma temática que envolvia adolescência, amizade, cultura hip-hop e uma ótima trilha sonora. Por mais que não tenha feito tanto sucesso mundo afora, Super Choque habita o coração de todos que assistiam e se divertiam com a série.

 

3 – X-Men: Evolution (2000)

X-Men Evolution - Imagem 8

Em 2000 os mutantes mais famosos do mundo voltaram à televisão numa versão mais jovem do que era sucesso nos cinemas da época; X-men: Evolution foi uma adaptação que pretendia, na aba do sucesso dos filmes do Bryan Singer e da aclamada série X-Men de 1992, continuar de forma nova a história dos mutantes da mansão X.

O sucesso de Evolution foi tremendo principalmente pelo público mais jovem que assistia no canal WB Kids nos EUA, aqui no Brasil ficou muito conhecida por conta da transmissão do SBT, que incentivou uma série de action-figures, uma série de quadrinhos inspirada no desenho animado e uma coleção de figurinhas nos salgadinhos da Elma Chips. Para a geração que teve sua infância na primeira década dos anos 2000, Evolution foi a grande vitrine dos mutantes, sendo que poucos tiveram contato com a série clássica anterior.

Alguns personagens foram criados especialmente para a série, como Spyke, que não existia nos quadrinhos ou a X-23, clone do Wolverine que caiu nas graças dos fãs; em suas 4 temporadas, diversos arcos clássicos foram adaptados, inclusive alguns com participações inusitadas como o Capitão América num flashback da 2ª Guerra Mundial. A série culminou na saga contra o Apocalipse, num episódio duplo com direito a transformação da Jean Grey na Fênix. A representação de alguns personagens, apesar da maioria ter sido rejuvenescida, continua adulta; como o Fera, o Professor Xavier, o Magneto e a Tempestade. X-men: Evolution foi um marco para a Marvel no mundo das animações, que impulsionou a editora e freou a dominância da DC nas telinhas.

 

2 – O Espetacular Homem-Aranha (2008)

Spider Man - Imagem 9

O cabeça de teia não podia ficar de fora dessa lista! The Spectacular Spider-Man foi realmente espetacular. Baseado nas histórias em quadrinhos clássicas do amigo da vizinhança e introduzindo alguns elementos que foram trazidos na fase Ultimate da Marvel, a série retrata Peter Parker com 16 anos no ensino médio, tendo que lidar com seus recém-adiquiridos poderes e todos os acontecimentos já característicos do Homem-Aranha, como a morte do tio Ben, a amizade com Harry Osborn e Gwen Stacy.

Pontos muito interessantes foram levantados na série, como a dificuldade de socialização de Peter, o interesse amoroso de Gwen e Liz Allan por ele, a novidade que era enfrentar vilões urbanos, que aliás, foram quase todos apresentados em apenas duas ótimas temporadas. Apesar de seu enorme sucesso de público, tanto no canal CW, no Disney XD e no Netflix e até na TV Globinho, a terceira temporada nunca aconteceu, dando lugar à continuação veiculada como “Ultimate Spider-Man”, que também é muito boa, porém não foi tão bem recebida pela crítica ou pelo público, que sentiu o apelo infantil muito grande. Nessa série nova, ainda tiveram bons episódios, mas o destaque vai para o encontro do aracnídeo com Deadpool que, aliás, se parece muito com o desenvolvido recentemente por Ryan Reynolds.

 

1 – X-Men (1992)

X-Men 1992 - Imagem 10

O Top 1 dessa lista não poderia ser algo diferente, pois a série animada marcou uma época dos heróis na televisão, e com certeza, muitos desses outros citados acima só existiram por conta do enorme sucesso que X-men: The Animated Series fez na década de 90. Contendo uma temática diferente do padrão, a animação tratava de temas polêmicos, e conseguiu transformar a ideia original dos quadrinhos de Chris Claremont como o preconceito racial, a intolerância religiosa e até a homossexualidade numa época onde temas assim raramente eram discutidos abertamente.

O desenho tinha todos os elementos clássicos dos mutantes, principalmente a formação quase que original dos quadrinhos, e um retrato dos trejeitos, dos poderes e da personalidade principalmente do Wolverine, que virou o querido dos fãs que nasceram nos anos 80. Em suas três temporadas, no meio de batalhas com uma altíssima qualidade e inéditas na TV, muitos problemas da sociedade eram retratados nos mutantes, e serviam como exemplo de amizade, superação e orgulho de pertencer de uma minoria seja ela qual for.

A animação era encabeçada por uma batalha entre os mutantes contra os caçadores de mutantes, os Amigos da Irmandade, Magneto e os Sentinelas e combates cósmicos contra a Fênix Negra e outros poderosos mutantes nível Ômega. O estrondoso sucesso desse roteiro fez com que os heróis encontrassem a mídia clássica, muitos brinquedos foram lançados, novas séries surgiram além de possibilitar a criação do primeiro filme de super-heróis da era moderna, que foi o X-Men: O filme de 2000. Se você está buscando algo para se preparar para o filme de 2016 dos X-Men, a série clássica pode ser uma ótima pedida, pois mesmo depois de quase 25 anos, a discussão criada continua atual e vale muito a pena ser vista!


 

E aí, o que acha desse Top 10? Tem um diferente, então deixe aí nos comentários.

0 Total Views 0 Views Today
  • João Luiz

    Só faltou Batman: Animated Series.

    • Luiz Guilherme Silva

      Muita gente me falou isso, tô providenciando pra assistir! Obrigado pelo comentário