Sabotage – Novo policial de David Ayer derrapa, mas entretém

719

746

David Ayer é um verdadeiro especialista em filmes policiais, seja como diretor, como vimos nos excelentes Marcados para Morrer e Tempos de Violência, ou como roteirista, no aclamado Dia de Treinamento. Sua mais recente empreitada é Sabotage, que segue nesse mesmo rumo, só que sem tantos louros quanto os citados acima, mas que ainda assim tem seu valor.

Sabotage acompanha uma equipe de elite do DEA (Drug Enforcement Administration) liderada por John “Breacher” Wharton (Arnold Schwarzenegger), que em meio a uma missão envolvendo um perigoso cartel de drogas, resolve roubar a singela quantia de 10 milhões de dólares para dividir entre os integrantes do grupo.

sabotage-image01

Por uma misteriosa falha na execução do roubo, a equipe entra na mira de investigações internas e fica alguns meses inativa. Após serem liberados por falta de provas, os integrantes da equipe começam a ser eliminados, e inicia-se uma corrida contra o tempo para descobrir quem é o assassino.

Como dá pra se observar, não é na originalidade do roteiro que Sabotage se destaca, mas na execução minimamente competente, que consegue manter a curiosidade e certa tensão nesse clássico joguinho de “quem matou”. Apesar de não se aproveitar tão bem das cenas de ação como poderia, o diretor ainda consegue apresentar (e reapresentar) algumas ideias bacanas na hora de filmar, o que também rende sequências interessantes.

sabotage-terrence-howard-arnord-schwarzenegger-hd-2014-movie-1920x1080

O extenso elenco desse filme traz nomes conhecidos, mas que também não são tão aproveitados quanto poderiam. Schwarzenegger está surpreendentemente bem, mostrando que se bem dirigido ainda consegue carregar um filme somente com sua presença. As performances femininas também se destacam, com Olivia Williams no papel da detetive encarregada de investigar os homicídios, e Mireille Enos como uma esquisita integrante do esquadrão. Quanto aos nomes masculinos, temos Terrence Howard, Joe Manganiello, Josh Holloway, Max Martini, Harold Perrineau e Sam Worthington. Os mais talentosos subaproveitados, enquanto os menos recebem destaque demais.

Sabotage é um filme com um enorme potencial desperdiçado, principalmente se analisarmos os nomes envolvidos. Com bastante ação, muita violência gráfica, mas pouca inovação, um desfecho um pouco previsível, mas que ainda assim se sobressai ao bando de filmes de ação genéricos, justamente pelo seu experiente protagonista. Vale a 1h40min investidas, mas desejo mais sorte ao diretor no seu próximo projeto, o aguardadíssimo Corações de Ferro (Fury), com Brad Pitt, que estreia em novembro desse ano.

0 Total Views 0 Views Today