O Que Nós Fizemos no Nosso Feriado (What We Did on Our Holiday – 2014)

Untitled 2

Costumeiramente eu não me dou muito bem com o conceito de filme família; primeiro por que não tem nada a ver com o tipo de filme que eu me habituei a ver em família; segundo por que de todos os gêneros e subgêneros, na minha experiência, é o que mais se rende a fórmulas prontas. Por isso fiquei surpreso ao gostar tanto de O que nós fizemos no nosso feriado, que não foge a nenhum dos pontos citados acima.

Doug (David Tennant) e Abi (Rosamund Pike) estão lidando com um divórcio turbulento, tentando ao máximo não afetar seus três filhos com isso. Como se não fosse suficiente, eles estão indo para o aniversário de Gordie (Billy Connolly), avô das crianças, que está se recuperando de uma grave doença. Para não perturbar o velhinho, eles decidem combinar com as crianças que manterão a separação em segredo, o que desencadeará diversos encontros e desencontros no meio uma disfuncional reunião familiar.

O que nós fizemos no nosso feriado é um filme formulaico, não há dúvidas, mas ele se destaca por contar com uma execução redondinha e detalhes que são capazes de fazer até o mais ranzinza dos espectadores sorrir. A trama é simples e convencional, mas conta com uma reviravolta em seu miolo, que acaba sendo responsável pelos melhores momentos do longa.

what_we_did_on_our_holiday_11_xp_szn

O roteiro apresenta um ancião sábio, adultos neuróticos e crianças que com sua inocência, se mostram mais inteligentes e maduras do que todos os outros personagens. Típico, sim, mas com o charme do humor britânico e tendo as belíssimas paisagens escocesas com pano de fundo, o conjunto da obra adquire um charme especial. Soma-se a isso excelente trilha sonora, e é como se estivéssemos vendo uma versão nórdica de algum filme do Wes Anderson.

O elenco adulto é apenas funcional aqui, Tennant e Pike estão no automático, Ben Miller e Amelia Bullmore são subaproveitados e Billy Connolly sustenta o personagem com o carisma, já que o roteiro não lhe dá muito o que fazer. O show fica por conta das crianças, Emilia Jones, Bobby Smalldridge e a caçula Harriet Turnbull, que desfilam talento e carisma em cada cena. Seus diálogos são os melhores e são eles quem fazem a trama andar, além de serem responsáveis pelos momentos mais engraçados do filme.

As lições e o desfecho são clichês, mas nem isso consegue reduzir a carga de “adorabilidade” do filme, que não pode ser considerado uma grande obra, mas que deve ser uma boa pedida pra quem quer um passa tempo leve e adorável. Tem no Netflix.

0 Total Views 0 Views Today