970

Em setembro de 2011 foi sancionada a lei de número 12.485, mais conhecida como a “A Lei da TV Paga”. Segundo a ANCINE, seu objetivo era aumentar a produção e circulação de conteúdo audiovisual brasileiro de qualidade e relevância. Dentre seus decretos, talvez o mais importante tenha sido o que determinava a exibição obrigatória de, pelo menos, três horas e meia semanais de produções nacionais em todos os canais por assinatura. Isso totalizaria cerca de 1070 horas de produções brasileiras por ano em qualquer canal da Tv fechada.

Os reflexos dessa polêmica lei puderam ser sensivelmente sentidos nos anos seguintes, sendo que em 2013, entre estreias e novas temporadas, 21 séries nacionais foram exibidas nos canais fechados. Esse número subiu para 25 em 2014.

Em 2015, ano em que o grupo HBO comemora dez anos de produções originais brasileiras, a diversidade tomou conta das empreitadas das produtoras de conteúdo. Produções originais, remakes, e adaptações de diversos gêneros e voltados para vários tipos de público, foram e serão veiculados por grandes canais. É notável também o número de retornos e renovações, sinal de boa recepção e de engajamento por parte do público.

E não para por aí, o futuro ainda reserva mais para a produção audiovisual nacional. E esse post quer apresentar um pouco do que está sendo veiculado agora, e do que vem por aí em um futuro não muito distante.

 

HBO

Magnifica 70 POSTER

Dez anos após estrear sua primeira produção original brasileira, a série ‘Mandrake’, baseada nos livros de Rubem Fonseca, a HBO veicula atualmente ‘Magnifica 70’. A trama se passa na década de 70 e acompanha os meandros da produção cinematográfica da Boca do Lixo e a sua relação com a censura na época da ditadura militar. Vicente (Marcos Winter) é o protagonista que, secretamente, está bem envolvido nos dois lados dessa moeda.

A série foi produzida com recursos próprios da HBO Latin America, sem fazer uso dos programas de captação de verbas oferecidos pelas Ancine. Isso demonstra bastante confiança no material criado por Cláudio Torres, Renato Fagundes e Leandro Assis. O show estreou em 18 de maio e o último episódio de sua primeira temporada vai ao ar no próximo domingo, 16.

O trabalho de direção de arte da série é impecável, sem falar do elenco extremamente competente que além de Winter, conta também com Simone Spoladore, Adriano Garib, Maria Luísa Mendonça e Stepan Nercessian. O roteiro talvez seja o ponto fraco, ás vezes se perdendo em didatismo e diálogos extremamente expositivos. Mas ainda assim, pelo cuidado da produção e por tratar de um tema tão interessante, que mistura uma fase importante do cenário cinematográfico nacional com uma fase terrível de nossa história politica, vale muito a pena ser visto.

The-Hipnotizer-PROMO-PHOTOS-30AGOSTO2014-05

Ainda em agosto, mais precisamente no dia 23 ás 21h, estreia no canal ‘O Hipnotizador’. A série é um projeto da HBO Latin America que envolve Brasil, Argentina e Uruguai. Ela foi filmada no Uruguai, baseada em uma Hq escrita pelos argentinos Pablo De Santis e Juan Sáenz Valiente (responsáveis também pelo roteiro), e produzida pela brasileira RT Features, com direção geral dos também brasileiros Alex Gabassi e José Eduardo Belmonte. Veja o teaser:

Sinopse oficial: “A história acompanha a vida de Arenas (Leonardo Sbaraglia), um enigmático hipnotizador que utiliza suas habilidades para trazer à tona fatos que estão escondidos no fundo da memória das pessoas. Atuando como um ‘detetive do inconsciente’, ele desvenda mistérios e auxilia aqueles que buscam por sua ajuda.”

O elenco conta com nomes dos três países, entre os brasileiros estão Bianca Comparato, Chico Diaz, Juliana Didone, Miguel Lunardi, Marisol Ribeiro, Ondina Clais, Rodrigo Garcia e Daniel Infantini.

Em novembro estreia a segunda temporada de ‘Psi’. Série criada por Contardo Calligaris, que acompanha o psiquiatra, psicólogo e psicanalista Carlo Antonini (Emilio de Melo), nos mostrando sua relação com a família, amigos e com seus pacientes.

psi-o-negocio

Confirmada, mas ainda sem data de estreia está a terceira temporada de ‘O Negócio’, série que acompanha a vida de três prostitutas de luxo que utilizam estratégias mais profissionais e rebuscadas de atrair novos clientes. Segundo a HBO Brasil, o show estrelado por Rafaela Mandelli, Juliana Schalch e Michelle Batista é uma das maiores audiências do canal na América Latina, perdendo apenas para as superproduções ‘Game of Thrones’ e ‘True Detective’.

 

AXN

No dia 30 de agosto, a AXN vai dar seu primeiro passo no ramo das produções nacionais. Ás 21h desse dia estreará ‘Santo Forte’, uma produção da Moonshot Pictures que acompanhará João da Cruz Forte (Vinícius de Oliveira), um taxista que tem um dom curioso: toda vez que recebe o pagamento pela corrida de seus passageiros, tem visões sobre eles e se vê compelido a ajudá-los da melhor maneira possível. Veja o teaser:

O elenco conta com Laila Garin, Thiago Justino, Bruno Bebbiano, Cassiano Carneiro, Tamara Taxman, José Araújo, Cacá Ottoni e Davi Maia. A direção geral é de Roberto D’Ávila e o roteiro foi escrito por Marc Bechar. O ator Bruno Bebbiano fez em seu canal no YouTube um espécie de apresentação/making-of não oficial da primeira temporada, que terá 13 episódios. Clique aqui pra ver que ficou bem legal.

É bom lembrar que a Moonshot Pictures foi a produtora responsável por ‘Sessão de Terapia’, excelente série do GNT cancelada recentemente, mas que contou com três temporadas e vários episódios dirigidos pelo ator Selton Mello.

 

Space

Em franco crescimento o grupo Turner do Brasil também vai apostar em produções nacionais para transmitir em seus principais canais, entre eles o Space, TNT, Warner e TBS.

cena-da-serie-ze-do-caixao-protagonizada-por-matheus-nachtergaele-1429300707993_1024x768

Entre setembro e outubro deve estrear no ‘Space’ o primeiro projeto dessa nova fase. A série ‘Zé do Caixão’ trará Matheus Nachtergaele na pele do cineasta José Mojica Marins e contará em seis episódios de 45 minutos, um pouco da vida e obra de uma das figuras mais icônicas do cinema nacional. Cada episódio se dedicará as desventuras da produção de seus principais filmes, como ‘Sina do Aventureiro’ (1958), ‘À Meia-Noite Levarei Sua Alma’ (1963), ‘Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver’ (1966), ‘O Despertar da Besta’ (1969), ‘Perversão’ (1978), e ’24 Horas de Sexo Explícito’ (1985).

A série se baseia na biografia ‘Maldito – A Vida e o Cinema de José Mojica Marins’, escrita pelo jornalista André Barcinski, idealizador e um dos roteiristas do show. O elenco conta com Felipe Solari, Maria Helena Chira, Anamaria Barreto e Walter Breda.

Em fase de pré-produção e com expectativa para lançamento em 2016, temos ‘A Lei’. A série será dirigida pelo uruguaio Adrián Caetano, com roteiro do argentino Patricio Vega. A trama se baseia na história real do politico e apresentador amazonense Wallace Souza, que foi preso e teve seu mandato de deputado estadual cassado em 2009, acusado de encomendar assassinatos para exibir em seu programa de TV, chamado ‘Canal Livre’ e transmitido pela TV Rio negro, afiliada da Rede Bandeirantes. O caso ganhou repercussão internacional e Wallace faleceu no ano seguinte, vítima de um ataque cardíaco.

 

TNT

Ainda no grupo Turner, temos os projetos da TNT. Duas adaptações de séries estrangeiras.

‘Rua Augusta’ é um remake da israelense ‘Allenby’, série criada por Gadi Taub, que recebeu a encomenda de oito episódios para sua primeira temporada. A série original é um drama psicológico que mostra as consequências de um violento ataque sofrido por uma stripper. O show mostra o submundo secreto de um bar de strippers em Tel Aviv, com personagens complexos cheios de conflitos pessoais e profissionais. A previsão de estreia é para o primeiro semestre do ano que vem.

augusta-hermanos

Ainda sem cronograma de produção está o remake da série argentina ‘Hermanos & Detectives’. A série original acompanha a vida de Franco Montero (Rodrigo de la Serna), um homem solitário e introspectivo que trabalha como detetive do departamento de homicídios. Isso até a chegada de Lorenzo Montero (Rodrigo Noya), um meio irmão de 11 anos que até então ele desconhecia. Lorenzo, porém, é uma criança superdotada que começa a ajudar Franco e seu parceiro em suas investigações. O show atingiu bastante destaque em 2006 e chegou a ganhar um versão na TV espanhola. A versão argentina chegou a ser exibida pelo canal Bandeirantes em 2012.

 

Netflix

maxresdefault

Obviamente a Netflix não poderia ficar de fora dessa nova era.  Recentemente foi anunciado o primeiro projeto original brasileiro do serviço. Trata-se de ‘3%’, série que mostrará uma sociedade distópica na qual todas as pessoas que completam 20 anos têm a chance de passar por um teste que oferece aos escolhidos a promessa de uma vida melhor. O problema é que esse processo seletivo é difícil e muitas vezes mortal, e  somente 3% da população consegue passar por ele.

Esse projeto existe desde 2011 e contou com um episódio piloto disponibilizado no YouTube na época. Mesmo com certa viralização dos vídeos e com a aclamação por parte do público, ele não conseguiu alcançar nenhum tipo de apoio ou financiamento que o tirasse do papel. Até agora.

A primeira temporada será produzida pela Boutique Filmes e contará com direção de Cesar Charlone, diretor de fotografia indicado ao Oscar por ‘Cidade de Deus’. João Miguel e Bianca Comparato serão os protagonistas do show que tem estreia prevista para o segundo semestre de 2016. Clique aqui para ver o piloto de 2011.

Vale lembrar que serviços como Netflix, HBO Go, Net Now, Crackle, Telecine Play, entre outros, não são abarcados pela lei de 2011 e por isso, não tem a obrigatoriedade de produzir conteúdo nacional. Pelo menos por enquanto, já que a ANCINE sinalizou os planos de criar uma regulamentação para serviços OTT (Over The Top), que entregam conteúdo de vídeo por meios alternativos. Se o lado bom é fomentar a produção cultural nacional, nesse caso o lado ruim seria a inevitável incidência de burocracia e tributos nesses serviços. É algo a ser analisado com todo o cuidado do mundo.

Antes de finalizar, não posso esquecer de citar o canal GNT, que não tem grandes novidades divulgadas, mas que foi e ainda é parte importante desse crescimento. A maioria de suas séries é voltada para o público feminino, como ‘As Canalhas’, ‘Os Homens são de Marte… e é pra lá que eu vou’ e ‘Lili, a Ex’, e todas essas ganharam boa repercussão e foram renovadas nos últimos anos. Temos também a já citada ‘Sessão de Terapia’, cancelada por motivos de logística, mas que rendeu três ótimas temporadas. Recentemente foi transmitida a primeira temporada de ‘Vizinhos’, voltada para o público mais jovem. Vi poucos episódios e achei bem legal. Vale procurar no serviço on-demand.

Enfim, aguardemos as próximas estreias e torçamos para que a produção televisiva nacional cresça não só em quantidade, mas também em qualidade nesses anos que estão por vir.

0 Total Views 0 Views Today