Texto sem spoilers.

Há muito tempo atrás costumávamos ser amigos, mas faz um tempo que não tenho pensado em você.”

photo-main

Esse sou eu refletindo sobre Veronica Mars com as mesmas palavras da trilha de abertura da série com uma legião de fãs órfãos de episódios que, deixando de serem produzidos, deixaram também tristes aqueles que, como eu, se surpreendiam com a qualidade de uma série que tinha como fachada a imagem de “série teen” à la The OC ou Dawson’s Creek. (Se você não reconhece esses nomes, é muito novo pra estar lendo esse texto.)

Era justamente essa surpresa que atraia telespectadores para a produção, além da grandemente carismática Kristen Bell, que tem muito o que agradecer Rob Thomas pelo seu sucesso. A atriz deu vida à uma personagem que não demonstrava sua inteligência através de conexões fantasiosas e improváveis em casos mirabolantes e altamente ficcionais, mas sim por seu humor afiado e boa atuação. Veronica é um desses personagens imortalizados na pele do ator/atriz que a interpreta, por ser parte fundamental da personalidade do mesmo, vulgo Matthew Perry como Chandler, e essa qualidade só é reforçada no filme que ficou disponível para compra digital e locação no Brasil na sexta-feira 14 de Março.

Em Veronica Mars: The Movie Of Veronica Mars (O filme se chama apenas Veronica Mars), a ex-investigadora privada adolescente já não é mais adolescente e cresceu junto com sua carreira. Mas como é de se esperar em um filme de “reunion“, uma série de fatores a fazem retornar às suas raízes. Veronica volta à sua cidade natal e se reencontra com praticamente todos os personagens que fizeram parte de seus anos no ensino médio, dos quais acompanhávamos por sua falecida série.

movies_veronica-mars3.png

Na nova produção temos tudo que tinhamos quando VM era algo semanal, desde intrigas em relacionamentos onde até o TMZ, grande tabloide americano, faz uma ponta, até surpresas na trama que desconcertam tanto o ritmo normal da história quanto o telespectador que não esperava pelo choque. E isso é ótimo!

Rob Thomas (não o vocalista do Matchbox Twenty, caso tenha ido procurar. O outro) escreve um longa com a proeza de manter a essência da série em cada minuto. Apelando aos antigos fãs e conseguindo despertar a curiosidade de eventuais novos com a montagem inicial sobre toda a história de Veronica até alí.

Não é um filme grandioso blockbuster, mas não tem a intenção de ser. A atriz Kristen Bell e outras partes do elenco são declaradamente fãs de seus trabalhos na época da série, e conseguiram produzir o filme graças à ajuda dos fãs no famoso site de crowdfunding KickStarter. É possível ver o carinho sendo retribuído numa história que passa a sensação de um episódio estendido, mas é suficiente pra ser considerado uma produção que se mantém por si só.

É justamente aquele gostinho a mais que todos gostaríamos de ver com F.R.I.E.N.D.S. do querido Chandler citado acima, por exemplo. É um filme que apela para a nostalgia de nós que gostávamos tanto de ouvir a narração precisamente descontraída ou dramática da atriz principal, ou da relação conflituosa de Mars com todos os seus antigos não-tão-amigos e amigos, ou até mesmo com aparição de personagens que nem lembrávamos, mas depois de fazerem suas pontas, deixam claro o porquê de os mesmos terem sido parte fundamental no universo da Mars Investigations.

o-VERONICA-MARS-MOVIE-COMIC-CON-facebook

Uma produção de fãs para fãs, por mais clichê que seja essa colocação, que trabalha bem seus próprios clichês, tornando-os piadas contextuais dentro da história criada por Thomas por 3 temporadas. E o melhor é que faz tudo isso com os pés no chão, arrancando sorrisos com o ainda presente humor inteligente, sustos com as ainda presentes surpresas e ainda alguns rolares de olhos com desfechos românticos evidentes, que não aborrecem tanto, mas se fazem presentes.

Bell volta provando que sempre gostou de ser uma “marshmallow“, e entrega a performance grata de uma personagem que a lançou para o estrelato.

Pra quem sentiu saudades da produção na TV, não há melhor maneira de matar essa saudade. (E sei que não será possível, mas estou do lado de quem ainda sonha com um filme de F.R.I.E.N.D.S., caso não tenha ficado claro).

0 Total Views 0 Views Today