970x330-top-five

Parece que está na moda atores terem seu comeback em papeis de auto-crítica e semi-auto-biográficos. Jean-Claude Van Damme teve seu ‘JCVD’, Michael Keaton teve seu ‘Birdman’. Dada as devidas proporções, Chris Rock chega com seu ‘Top Five’.

 

A trama escrita pelo próprio Rock acompanha Andre Allen, um comediante que atingiu fama e reconhecimento com seus shows de stand up e filmes de uma famosa série cinematográfica. Mas hoje os tempos são outros, Andre não quer mais viver de seus velhos papeis e tenta mudar de ares, com filmes relativamente sérios. Em meio a divulgação de seu último trabalho, ele será acompanhado pela jornalista Chelsea Brown, e enquanto se conhecem vão repensar suas escolhas e a situação de suas vidas e carreiras.

TOP FIVE

 

Apesar da sinopse evocar algo diferente, trata-se sim de uma comédia, e muito boa por sinal. A maioria das piadas funciona muito bem, algumas fazem rir alto. As várias participações especiais também são impagáveis, não vou revelar todas, mas vou destacar as de Cedric The Entertainer e Whoopi Goldberg.

 

Mas no “intervalo” dessas piadas, Chris Rock tem seus momentos de Woody Allen, preenchendo as cenas com diálogos inteligentes e bem travados, onde trata com senso de humor temas relevantes, como alcoolismo e a indústria da fama, destilando ironia contra a industria na qual se encontra, mas também se rendendo ao mea culpa. Há algo de “existencial” aqui.

 

É fato que Rock não tem um grande alcance dramático como ator, mas o texto foi tão bem escrito pra si mesmo que nem se nota. E sua companheira na maioria das cenas faz muito bem esse contrapeso, Rosario Dawson vai bem nas cenas mais introspectivas e também nos momentos em que tem que se divertir.

 

Com Rock mandando bem também na direção, ‘Top Five’ é um dos melhores trabalhos do comediante (ao lado de ‘Everybody hates Chris’), um filme sofisticado, engraçado e muito bem vindo em meio a uma modesta safra de boas comédias.

 

Nota: 8,5

0 Total Views 0 Views Today