Crítica: A seita misteriosa (Sound of my Voice – 2011)

970-sound-of-my-voice

Desde que eu vi o excelente ‘A outra Terra’ (leia a crítica aqui), que tenho comigo a certeza de que em algum momento Brit Marling – roteirista e protagonista daquele filme – vai alcançar o sucesso merecido. Seu estilo de escrita, sempre trazendo um fundo misterioso para trabalhar assuntos relevantes, é inteligente e encantador. Não é diferente em ‘Sound of my voice’, que no Brasil ganhou o patético título de ‘A seita misteriosa’, mas que será ignorado nesse texto.

A trama acompanha Peter (Christopher Denham) e Lorna (Nicole Vicius), um casal de documentaristas que se infiltra em um misterioso culto secreto, a fim de desmascarar a líder dessa seita, Maggie (Brit Marling), que afirma ter vindo do futuro para guiar seus seguidores a um caminho melhor. Mas a medida em que eles se envolvem com o grupo, as coisas vão começando a se transformar.

2012_sound_of_my_voice_003

O roteiro trata basicamente de fé, crença e interpretação de mensagens, não só no que diz respeito aos personagens e ao culto, mas também ao expectador e ao filme em si. Ao mesmo tempo em que fala de um amor materno, de forma não escancarada, faz um forte estudo sobre a facilidade – e até a prontidão – com que as pessoas são enganadas. Como elas, até de forma inconsciente, vão “escolhendo” as pistas que reforçam uma impressão pré-concebida. E o público mais escolado, que encara com cinismo qualquer mistério, tentando prever os rumos da história, também é enganado no decorrer do filme. São tantos pontos de vista, que em certo ponto não sabemos mais em quem acreditar. E no final percebemos que a explicação mais simples, geralmente é a correta.

O elenco realiza um ótimo trabalho, especialmente Marling, dando vida a uma personagem cheia de segredos e com muita personalidade. Se seu trabalho como roteirista merece atenção, podemos dizer o mesmo de seus talentos interpretativos. A produção em si é bastante simples, com ângulos e takes convencionais e uma fotografia não mais do que regular. A trilha sonora se destaca, tendo ligação direta com o andamento e com a mensagem do longa.

Enfim, ‘Sound of my voice’ é um thriller psicológico com toques de drama familiar, extremamente relevante e reflexivo. Tem a curiosa característica de possuir um desfecho conclusivo, porém aberto ao mesmo tempo, dependendo de qual viés da história você preferir seguir. É um filme precioso, que merece ser visto.

Nota: 9,0

0 Total Views 0 Views Today
  • Pingback: Crítica: O Sistema (The East - 2013) - TaxiCafé()

  • José Eduardo

    Sei lá… cada um tem sua opinião própria… Existem amigos meus que odeiam a trilogia Matrix e eu amo esses filmes. O mesmo acontece com esse filme “A seita misteriosa” (Sound of my voice). Desde que assisti (numa madrugada na TV véspera de feriado) não consigo tirar este filme da cabeça… Mexeu alguma coisa comigo… Também ficou na cabeça a protagonista cantando Dreams do Cranberries… Eu adorei a proposta e a simplicidade do filme que me lembrou assim produções ótimas dos anos 70 mas, como eu disse, cada um tem sua opinião… Pra mim o filme é nota 9 também… Gostei demais.