Crítica: Scream – The Series | Primeira Temporada

970-scream

Dez episódios se passaram desde que escrevi o meu texto de primeiras impressões da série ‘Scream’. Nele eu disse que era apaixonado pela franquia cinematográfica e que o legado a ser respeitado era imenso. O episódio piloto já deixou claro que que a linguagem de “slasher movie” seria adaptada para o modelo de série de TV, mas mantendo a identidade criada por Wes Craven e Kevin Williamson nos anos 90. Ponto positivo.

Já nesse primeiro episódio tivemos uma mostra daqueles discursos metalinguísticos típicos da saga, explicando a adaptação, dizendo que a agilidade dos filmes não funcionariam na TV, onde você precisa se importar com seus personagens e dramas para a história seguir, deixando o mistério e o assassino um pouco de lado. Isso funciona bem por um tempo, seus personagens tem seus próprios conflitos e segredos. Como eu disse, isso funciona por um tempo, porque depois a escassez de cenas de tensão e aparições do assassino começam a incomodar. Essas cenas são bem feitas sim, bem como as mortes, mas são poucas.

ghostface-mask-in-mtv-s-scream-tv-series-revealed-438725

O principal problema segue sendo o elenco, os atores são inexperientes e não conseguem construir suas personalidades de forma convincente. Em especial a protagonista, Emma (Willa Fitzgerald). A atriz é apática e tem pouco carisma, além da personagem não ter a força que se espera dela. Se nos filmes tínhamos empolgantes embates entre Sidney e o assassino, tanto verbal, como fisicamente, na série suas interações são pouco atrativas.

O roteiro em si é bem construído, sabe jogar com as suspeitas e as pistas, brinca bastante com o gênero em que se encontra, além de presentear os fãs com referências da cultura pop em geral, sem falar na boa e velha metalinguagem, marca registrada e uma das responsáveis pelo sucesso estrondoso da saga. O mistério sobre a identidade do assassino é bem resguardado, e a revelação agrada bastante e deixa o gancho para a já confirmada segunda temporada.

Enfim, a primeira temporada da série Pânico respeitou o que tinha que ser respeitado e soube trilhar seu próprio caminho. Não é uma série grandiosa ou espetacular, longe disso, mas é um entretenimento honesto e bastante válido. Torçamos para que exista evolução na próxima temporada, principalmente no que diz respeito as atuações.

0 Total Views 0 Views Today