agricola

Antes de falar de Agrícola, vale a pena falar que no mundo dos jogos de tabuleiro existem alguns jogos com temáticas bastante absurdas, alguns engraçados, outros viajados e alguns completamente sérios. Geralmente estes parecem desinteressantes, o que para mim era o caso de Agrícola, pois, desde Harvest Moon, acho chato ser fazendeiro. Mas, por ser um jogo aclamado e estar sempre circundando os tops do BGG, resolvi adentrar os 7 níveis do inferno neste jogo feito para trabalhar a frustração.

Em Agricola, você assume o papel de uma família de fazendeiros, que precisará arar o campo, plantar, construir cercas, evoluir tecnologicamente, como construir moinhos, e principalmente, incentivar o trabalho infantil, tendo filhos e enfiando a mulecada no trampo desde cedo (e sofrer, nunca esqueça de sofrer).

Como na vida, ter filhos traz milhares de vantagens e alegrias. Os filhos mudam e evoluem uma família. Porém, trazem muitas preocupações e claro, gastos. E neste jogo, se você não aumentar sua mão de obra, possivelmente perderá feio (pessoas, sério!!!), mas, ao fazer isso, seus gastos serão sua preocupação eterna.

O Agrícola

Agrícola foi lançado em terras tupiniquins pela Devir, sendo originalmente publicado pela Look Out Games e criado pelo Uwe Rosenberg.

Este jogo foi criado em 2005 e se mantém entre os melhores do BGG desde então. Claro que não sem discussão, visto que este jogo geralmente é amor ou ódio. Por ser extremamente punitivo, muitas pessoas não gostam e o consideram truncado demais (é sofrimento do início ao fim). Obviamente que após esse veredito surgiu seu sucessor espiritual, o tão famoso quanto, Caverna ([polêmica]para os que jogam no easy[/polêmica]).

Como funciona o Agrícola

Assumo que pensei em não escrever esta parte, afinal explicar Agrícola é ensinar o “Pai nosso” para padres, a maioria já conhece. Mas, minha esposa me pediu (me obrigou) para explicar.

Agrícola possui três tabuleiros principais. O primeiro possui dois lados, sendo um para o jogo família – uma variação mais simples e amigável do jogo – e o outro o comum, utilizando as melhorias menores e talentos (profissões). Os outros dois tabuleiros servem de relógio para o jogo, eles possuem ao total quatorze espaços para cartas, sendo que cada espaço significa uma rodada, e em cada rodada abrimos uma carta que possibilita uma nova ação. Porém, no final da rodada 4, 7, 9, 11, 13 e 14 temos o turno de colheita, onde nossos vegetais são colhidos, nossos animais procriam e a gente gasta uma fortuna alimentando nossa família.

No final do 14 turno, o jogo acaba e contamos os pouquíssimos pontos.

Seria bastante simples, se cada vez a colheita não ficasse mais frequente e os custos maiores. Então, chega em um ponto que alimentar seus familiares ocupa quase todo seu turno, visto que seu amiguinho sempre atrapalha.

Componentes do Jogo

Agrícola conta com uma caralhada de componentes, desde tabuleiros individuais (5) impressos no papel Paraná (aquele papelão grosso e bonito de ver), muitas cartas (360) com uma qualidade mediana, tabuleiros centrais (3) impressos também no papel Paraná e muitos, mas muitos pinos de madeira. Sério, no mínimo é um incentivo foda ao desmatamento.

Visto essa quantidade de componentes, o valor final do jogo não é muito acessível, beirando R$ 350,00. Gostaria de reclamar do valor, mas esta é média de jogo neste porte.

Conheçam os componentes nesse pequeno vídeo que fizemos:

Artes do Jogo

Sei que tem algumas pessoas que gostam da arte, eu sinceramente, acho bastante feia. Claro que elas cumprem seu papel com eficiência. Mas, em um jogo de tabuleiro a função de fazer os olhos brilharem e chamar atenção para a mesa, fica para os animeeples – animaiszinho (sempre que ouço isso lembro do padre Marcelo) de madeira.

Vejam algumas fotos:

A Jogatina

Esse jogo é mais punitivo que as surras de chinelo da minha velha. Pessoas, neste jogo você é um fazendeiro, você tem pouquíssimas ações para fazer o que precisa, por isso alimentar sua família requer muito cuidado. Sendo assim, você sofrerá. Muito. Sempre.

E isso me ganhou, mas que jogo foda! Existem jogos para curtir e jogos para degustar, Agrícola é para degustação. É para jogar saboreando – e sofrendo – cada minuto. Não é possível jogar todos os dias, pois é bastante denso. Você sai cansado, já que seu sucesso depende muito de você.

Agrícola em duas pessoas

Como sempre, jogo com a esposa. E Agrícola em duas pessoas fica um pouco menos sofrido, sendo mais fácil colher recursos e cultivar. Mas não pense que poderá jogar sem pensar nas rodadas. Ainda é um jogo denso e incrível.

Vou postar nossas pontuações para que contemplem as derrotas da minha esposa!


O board game Agrícola é extremamente punitivo e a partida inteira fica com uma ar de aperto. E isso, para mim, faz o jogo ser excelente! Apesar do seu preço um pouco salgado, compensa pela qualidade gráfica e a quantidade de componentes. Então, sem sombra de dúvidas, é um jogaço e vale a pena!

0 Total Views 0 Views Today