O Exterminador do Futuro e a Maldição do Terceiro Filme

the-therminator-1

 

Assim como Hollywood se acostumou a fazer nos últimos anos, eu Vinicius Salazar, também farei um remake. O material original é uma série de artigos que eu publiquei no meu antigo blog, onde eu fazia uma análise das franquias cinematográficas que tiveram um terceiro filme horroroso, o que é muito comum. Para recomeçar essa série, eu resolvi escolher uma franquia que também está prestes a recomeçar nos cinemas, O Exterminador do Futuro e a Maldição do Terceiro Filme.

 

Em 1984, batia na porta de vários estúdios um desconhecido de nome James Cameron, ele tinha um roteiro embaixo do braço e muita vontade de dirigir a  ficção científica que acabara de desenvolver. Sua experiência com direção se resumia á um curta de ficção e um filme de terror B (que aliás, ele renegou por muitos anos), por isso, houve muita resistência dos estúdios ao permitir que ele dirigisse o tal projeto.

 

Depois de bater em muitas portas ele finalmente conseguiu quem lhe apoiasse, a Hemdale Pictures lhe deu um pequeno orçamento de US$ 6,5 milhões para fazer o que seria “apenas mais um filme de ficção científica”. A história era bem simples, um cyborg vem do futuro para destruir a mulher que dará á luz ao homem que pode acabar com a dominação das máquinas. Como o filme foi vendido como B, o desempenho de bilheteria foi um sucesso estrondoso, US$ 78 milhões de dólares.Um longa caminhou entre a ação e ficção tão bem, que abriu espaço para encaixa-lo em um terceiro gênero, o terror.

 

Um androide assassino que persegue uma mulher, com um único intuito, matar. Um slasher-action-sci-fi-movie de primeira qualidade. Cenas de ação vertiginosas e Arnold Schwarzenegger, até hoje o melhor robô da história do cinema, eram outros pontos fortíssimos em The Terminator. Também não podemos ignorar o quão bons são os efeitos do filme, a maioria deles, efeitos práticos, apenas o que era possível com o orçamento reduzido. Ali nascia um clássico, definitivamente.

 

the-therminator-2

 

Sete anos depois James Cameron revisitava a obra que o lançou como cineasta de sucesso, novamente com Arnold Schwarzenegger mostrando toda a frieza necessária á um androide. Mas agora Shwarza era um astro do cinema, por isso o papel de vilão não era mais a melhor escolha para ele, logo, ele seria o mocinho.

 

Dessa vez foi dado á Cameron um orçamento um pouco maior, US$ 100 milhões de dólares, o maior da história até aquele momento. Em uma época que repetindo a fórmula e aumentando as doses do elemento principal ainda se fazia uma boa sequência, Terminator 2 nos trouxe mais ação, mais tensão, mais explosões e muito mais efeitos especiais, que seriam uma revolução na indústria.

 

A história acontece anos depois da visita do primeiro exterminador. Agora temos um John Connor adolescente e rebelde, perseguido por um novo modelo de máquina, o T-1000 (Robert Patrick). Temos também um novo T-800, reprogramado pelo John Connor do futuro para proteger sua versão do passado.No meio da porradaria temos a Sarah Connor, mãe do jovem John, totalmente diferente da Sarah Connor que conhecemos no primeiro filme, agora uma guerreira que protege seu filho, e por tabela, o futuro da humanidade.

 

Apesar de ser um filme de ação, existe sim um excelente desenvolvimento de personagens. Arnold novamente está excelente, cenas de ação incríveis, mesmo para os padrões de hoje. Um filme que entra na lista de continuações que superam os originais, mesmo hoje, 22 anos depois, ainda sensacional. Ninguém poderia prever o que aconteceria a seguir.

 

the-therminator-3

 

Doze anos se passaram e mais uma sequência seria lançada, dessa vez sem o diretor James Cameron, a atriz Linda Hamilton e o ator Ed Furlong (que passou por problemas com drogas), tudo isso já era um mal sinal. O único que voltou foi Schwarza, podia ser o suficiente, mas não foi. Jonathan Mostow foi contratado para dirigir e fazer mais uma uma repetição de fórmula, com adições de alguns elementos e esperança de que funcionasse. Não funcionou.

 

Agora a Skynet manda a primeira exterminadora, a T-X (Kristanna Loken), para exterminar os comandantes da resistência e amigos de John Connor. Também temos outro exterminador que foi enviado para protegê-lo, agora um T-850. O filme traz cenas de ação bem feitas, mas nada de inovador. Outra coisa que não agradou foi a tentativa de adicionar um tom cômico que soou extremamente forçado, principalmente por não combinar com o histórico da franquia.

 

O filme foi mal até os dez minutos finais, quando as coisas começaram a mudar, e se não foi o suficiente para evitar o naufrágio do longa, pelo menos deu um pouco mais de gás para a série. O filme em si ficou ruim, mas o final instigante e o dinheiro que caiu na conta do estúdio fez com que alguém gritasse: Precisamos de uma sequência.

 

the-therminator-4

 

E ela veio em 2009, dirigida por McG, cuja maior obra até então tinha sido As Panteras. O roteiro mais uma vez deixou a desejar e o longa se baseou basicamente em cenas de ação e explosões, além do diretor ter insistido em reutilizar ideias e até cenas dos episódios anteriores. O elenco, apesar de bem qualificado, estava perdido em cena, Christian Bale, Sam Worthington e o restante dos atores estavam totalmente apagados. A coisa mais relevante que Bale fez foi dar ataque de pelanca com o diretor de fotografia.

 

Ainda tivemos tempo para cenas-homenagens infames, incluindo a face de Schwarza adicionada digitalmente. Os personagens acabaram sem o carisma de outrora e não provocavam empatia nenhuma. No fim, foi só um filme de ação como tantos outros que são lançados todos os anos, nem sombra do que o nome Terminator pode ser. Um terrível fim para uma das mais importantes franquias do cinema.

 

Não, pera aí… não é o fim nada, a Paramount está trabalhando no quinto filme da franquia atualmente, o longa tem estreia marcada para 26 de junho de 2015. Alan Taylor, de Thor 2, será o diretor de Terminator Genesis, filme que promete “rejuvenescer a franquia”. O elenco terá de volta Arnold Schwarzenneger como um T-alguma coisa que volta para proteger uma jovem Sarah Connor, que será vivida por Emilia Clarke, de Game of Thrones.

 

Além desse, que será o primeiro filme de uma nova trilogia, teremos também uma série dentro do mesmo universo. Ela será ambientada após um momento crítico do primeiro filme, mas seguirá em uma direção diferente da que o longa original escolheu. O roteiro da atração ficará a cargo de Zack Stentz e Ashley Miller (X-Men: Primeira Classe). Ainda não há previsão de estreia ou gravação da série.

 

Bom, é isso, espero que tenham gostado da nova-velha série de artigos do site. Deixem seus comentários aí embaixo, além de sugestões para os próximos capítulos.

0 Total Views 0 Views Today